30 de maio de 2011

Ecolalia

Post escrito quando a Gica tinha 3 anos.
Ela não possui mais ecolalia. 

Ecolalia é a repetição de palavras ou frases inteiras, muito comum em autistas. Eles repetem o que você fala, logo após ser dito ou até mesmo simultaneamente e há casos em que eles guardam na memória frases completas e repetem tempos depois (como vemos no artigo abaixo trascrito). No caso da Giovana, o que acontece é a ecolalia imediata,  isto é perceptível quando ela começa a falar logo em seguida da Pietra (mana) - repetindo tudinho o que foi dito. Mas não é algo que ela faz o tempo inteiro. Estes momentos são geralmente quando a Pi está contando uma história do dia ou lendo algum livro, ou então, dando as famosas "aulas" pra Gi - elas tem uma sala reservada somente para jogos e desenhos, nesta mesma sala a Pi cola na parede os seus desenhos, alfabeto, números, cores, formas, com o intuito de "ensinar" a irmã menor - então ela se transforma na "professora" e começa a nomear os desenhos. E a Gi repete tudo.
Outro exemplo típico da ecolalia da Gigi é quando perguntamos à ela se quer o mamá (leite), ela não fala que sim, mas repete : "quer mamá". O mesmo acontece com o bico. Para muitos isto parece ruim, mas para nós é um tipo de comunicação começando a se desenvolver. Aliás, ultimamente, a baixinha tem tentado bastante sair do casulo. Um exemplo disso foi estes dias, quando o Anderson estacionou o carro em frente a uma loja e ao abrir a porta para ela, notou que ela não queria descer. Insistiu um pouco para que ela fosse junto com ele... quando de repente saiu um "-deixa!".  Isto para muitos não é grande coisa, mas para nós é um grande avanço, pois nem isso ela fazia. Agora temos plena convicção que está despertando nela o interesse em se comunicar conosco. Por isto e pelo comportamento diário dela. A participação dela em casa está sendo maravilhosa, está sempre querendo ficar conosco, cada vez mais. Ontem eu e a Pietra estávamos fazendo um bolo e ela ficou o tempo todo conosco, prestando atenção em tudo. Lindo de se ver! 
------------------------------------------------------------------------
"Parece haver dois tipos de ecolalia: ecolalia imediata e ecolalia tardia.  Ecolalia imediata  é a repetição de algo que a criança acabou de ouvir e ecolalia tardia é a repetição de informações ouvido anteriormente - minutos, horas, dias, semanas, meses ou anos. 
Algumas pessoas vêem a ecolalia como fala sem sentido, mas há alguns profissionais que acreditam que a ecolalia pode servir como uma função de comunicação para o indivíduo com autismo.
Os profissionais acreditam que a presença da ecolalia em crianças com autismo pode ser favorável indicador para o desenvolvimento significativo da linguagem futura. 
A sensação que a ecolalia mostrada nas crianças, é, pelo menos, um processamento de linguagem. Ecolalia foi uma época considerada como apenas um outro comportamento inadequado em uma pessoa com autismo, entretanto, os pesquisadores atualmente vêem a  ecolalia agora como uma valiosa ponte para uma utilização mais estabelecida da linguagem."

fonte:http://www.associatedcontent.com/article/859633/autism_speaks_what_is_echolalia.html)

19 comentários:

  1. Passando para desejar um ótimo dia e convidar para dar uma passadinha no nosso blog! Abraços azuis!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada! Muito bom o teu blog, eu já dei a minha passadinha por lá, hoje...
    Mil beijos! ;)

    ResponderExcluir
  3. Dani, descobri teu o Blog ontem. Estou encantada! Fico lendo todos os posts e esperando pelo próximo.Assim temos uma forma de poder acompanhar essa jornada de vocês. Temos cada vez mais orgulho de vocês.È impossivel não se emocionar com a decicação toda essa dedicação. Parabéns amiga,todo esse empenho vai valer a pena ( acho que já está valendo). Mesmo de longe, estaremos aqui, torcendo muito e a cada conquista da Gica, poderemos comemorar juntos. Um Grande Beijo nessa linda Família! Juce e Rafa

    ResponderExcluir
  4. Dani, esse teu post lembrou-me de uma pessoa muito querida, que, após um acidente, ficou sem os movimentos do pulso e da mão direita.
    O desafio, recuperar-se, parecia a ela absurdamente grande, às vezes invencível, mas ela decidiu encarar aquela situação por etapas, tentar vencer cada pequeno obstáculo que surgia e apenas ele, e só depois buscar ir adiante.
    Mais de uma ano depois, ela conseguiu, no almoço, cortar um tomate.
    O rosto se transformou em uma expressão plena de alegria. Dos que estavam na mesa, poucos (apenas aqueles que acompanhavam a luta) entenderam o que estava acontecendo (para os demais não parecia assim algo tão importante).
    Para resumir a história, anos depois ela voltou a tocar piano e dirigir, continua determinada a ter suas limitações com algo secundário e contornável, que não a impedem de viver plenamente e de ser feliz.
    Tudo isso pra dizer, que fico feliz que vcs tenham essa mesma compreensão de que, ainda que a jornada talvez algumas vezes não se apresente fácil, são os passos que a fazem acontecer, e que cada um deles, tem o seu momento deve ser comemorado.
    Com carinho
    Leandro Baron

    ResponderExcluir
  5. ACOMPANHANDO SEMPRE...

    FAZENDO PARTE DA TORCIDA ORGANIZADA...

    ORGULHOSA DE VC, DO ANDERSOM DA PRÔ PIETRA E PRINCIPALMENTE DA GIGI.

    BJX, ALDENES.

    PS: DIVULGANDO AS TUAS POSTAGENS, COM INTENÇÃO DE AMPLIAR O LEQUE DOS ESCLARECIDOS.

    ResponderExcluir
  6. Juce e Rafa! Que bela surpresa ao ler! É maravilhoso poder contar com a torcida de vcs, nossos compadres queridos e amigos "por toda e para toda" uma vida, amizade selada com o batismo da Pietra! Um super beijo de nós 4!

    ResponderExcluir
  7. Leandro, que relato...eu e o Anderson nos emocionamos, como não poderia deixar de ser.
    Tuas palavras e tua sensibilidade nos fizeram um carinho que nem imaginas! Um abraço bem apertado pra vocês!

    ResponderExcluir
  8. Aldenes, querida!!! Obrigada, sempre!!

    ResponderExcluir
  9. Ecolalia, muito prazer. Não conhecia este termo nem este episódio. Fico grata por poder acompanhar, mesmo de longe, os sintomas que vêm aparecendo, as evoluções, as conquistas.
    Lembrei-me, ao ler este texto, do filme Rain Man, que inúmeras vezes ele repetia determinadas palavras, com a intensao de se comunicar.
    A Pi é um encanto, além de excelente prô, é uma ecelente irmão e filha. Que coisa mais querida.
    Beijos saudosos, doces e azuis para vcs.
    Dinda Hari

    ResponderExcluir
  10. Hari, é mesmo... e pelo que me lembro o personagem do Dustin Hoffmann gravava na memória as falas dos filmes e pogramas de tv e depois repetia... hunnnn tenho que ver este filme novamente... Beijos, minha linda!!

    ResponderExcluir
  11. Olá descobri seu blog e é maravilhoso,tenho um filho que ira fazer 3 anos, que repeti muito o que digo..
    Levei ao neuro falou que era normal isso pq ele era hiperativo,,não e sempre que nfaz,, se eu pergunto o que quer ele responde,pede sempre.,quando quer doce,bala ,carrinho,aponta as coisas, esta desenvolvendo bem na escola.
    Mas e muito inquieto,não sabe esperar sua vez,as vezes falo com ele parece não me ouvirr..
    Teve ao tempo atras por causa das repetições achei que tivesse um grau de autismo..mas o neuro disse ´por ele aponta ser imaginativo,brincar com as outras crianças,olhar ao olho,dar abraço ser muito afetuoso com a familia descartou,,mas mesmo assim fico muito preocupada,,suas gatinhas são lindas..parabéns

    ResponderExcluir
  12. Olá Dani, obrigada por compartilhar suas experiências. Tenho um filho lindo de 4 anos, q não foi diagnosticado, como autista, mas tem um atraso no desenvolvimento com alguns traços de autismo. Desde o encaminhamento, ele deu uma acordada legal, já fala muito, brinca na escola, é querido por pais e amiguinhos por ser muito alegre e carinhoso, andar de bicicleta. A linguagem dele ainda tem um pouco de ecolalia, mas ele está começando a desenvolver o "eu", o sim, o não. Passinho a passinho. É muito bom compartir os avanços dos nossos anjinhos com quem sabe do que estamos falando. Parabéns pela Gi, e muita fé!!

    ResponderExcluir
  13. PERCEBI QUE MEU FILHO COM 3 ANOS ESTA COM O DESENVOLVIMENTO ATRAZADO TB LEVEI-O AO NEURO PEDIATRA E ELE INDICOU TERAPIA OCUPACIONAL E FONO E NO MEIO DO ANO CONSEGUI MATRICULA-LO NA ESCOLA DEU UMA MELHORADA MAS AINDA TEM MUITA DIFICULDADE DE COMPREENDER O QUE AGENTE FALA E INTERAGIR COM OUTRAS CRIANCAS MAS EM CONTRAPARTIDA EH MUITO INTELIGENTE EM OUTRAS COISAS CONHECE TODO O ALFABETO TODOS O NUMEROS CORES MAS SE COMUNICA MUITO POUCO ACHEI O BLOG PESQUIZANDO NA INTERNET E TO GOSTANDO MUITO UM ABRAÇO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tenho um filho com tres anos que possui as mesmas caracteríticas do seu. Gotaria de compartilhar informações, ando batante triste e preocupada com ele.

      Excluir
  14. Descobri hoje por acaso seu blog.Sou professora da sala do AEE em uma U.E....
    Amei
    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Escrevi sobre esse assunto e agora encontrei o seu.

    Acrescentou conhecimento ao que eu já sabia.

    Parabéns pelo artigo e também pela organização do blog.

    Sucesso

    ResponderExcluir
  16. Boa noite Daniela,
    Gostei muito do seu blog, acredito que tem ajudado muitos pais.Parabéns!
    Lendo seu post sobre ecolalia surgiu uma duvida: toda criança que tem ecolalia tem autismo?
    Ansiosa pela resposta!
    Grata!

    ResponderExcluir
  17. Oi Luciana
    Existe uma linha tênue entre a ecolalia e a repetição por 'imitação' do que se ouve... ambas as coisas são excelentes sinais de uma pré verbalização, o que é ótimo, sendo a criança autista ou não. Mas devemos ter cuidado e muita observação neste aspecto. As vezes a criança está apenas repetindo, não significando ecolalia. Então a minha resposta pra ti ( e não sou médica...) é que nem sempre a ecolalia é associada ao autismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela atenção, acho que muito do que ela repete tem significado mas ainda me causa estranheza a repetição. Desde o meu primeiro comentário ela melhorou muito nesse aspecto, levei-a a uma neuropediatra novamente e ela me disse que tem uma pequena chance dela ter Asperger, se tiver é num grau muito leve. Estou fazendo os exames que ela me pediu para conseguir fechar um diagnóstico. Acho que como toda mãe que tem uma suspeita dessa vivo oscilando entre acreditar que ela tem a síndrome e as vezes achar que não. O jeito é aguardar. Um abraço e parabéns pelo blog. Um abraço!

      Excluir

Comentem! Ficarei feliz!
Respondo quando sou solicitada, por aqui ou e-mail, se preferirem:
danilaidens@gmail.com